Saltar para o conteúdo

Portugal 23-32 França: Despedida inglória

Portugal 23-32 França: Despedida inglória

A seleção nacional portuguesa perdeu frente à França na terceira e última jornada da Main Round do Mundial do Egipto, e falhou assim o acesso aos quartos-de-final, terminando a sua participação na competição.

Depois da derrota frente à Noruega e a vitória sobre a Suíça, Portugal sabia que apenas a vitória contra a equipa gaulesa garantiria o apuramento para a fase a eliminar do Campeonato do Mundo. Era o jogo do tudo-ou-nada para os “Heróis do Mar”, mas numa ocasião em que se pedia perfeição, a Lei de Murphy falou mais alto.

Para quem não conhece, a Lei de Murphy afirma que “Tudo o que pode, vai correr mal”, e a exibição portuguesa foi o exemplo perfeito.

O jogo começou e Portugal até marcou primeiro, mas desde cedo se percebeu que esta ia ser uma tarde muito longa para os comandados de Paulo Jorge Pereira. Com Dika Mem e Timothey N’Guessan em dia sim, os laterais aproveitaram todo o espaço concedido pela defesa lusa, que se mostrava mais presa do que é costume.

França tomou a liderança do marcador poucos minutos depois, e depressa chegaram a uma vantagem de três golos. Portugal ia acusando a pressão de ter que vencer o jogo e tal ficou claro no capítulo da finalização, com vários jogadores lusos a fraquejarem no momento da decisão, em situações que normalmente terminariam em golo.

Portugal 23-32 França: Despedida inglória

Um ligeiro ascendente português permitiu aos “Heróis do Mar” reduzirem a diferença para a margem mínima (11-12) a dez minutos do intervalo, mas “Les Bleus” responderam e quando as duas equipas recolheram aos balneários o marcador assinalava uma vantagem gaulesa de quatro golos, 12-16.

No segundo tempo pedia-se uma resposta assertiva por parte da armada portuguesa, mas tal não aconteceu. A seleção francesa mostrou todo o seu poderio e experiência, e conseguiram ir fugindo no marcador, mas Portugal a ser incapaz de responder tanto defensiva, como ofensivamente.

Com o passar do tempo a vantagem gaulesa continuou a crescer, chegando aos dez golos a dez minutos do final da partida. No final o marcador assinalou uma vitória francesa por nove golos, 23-32, com Hugo Descat a ser o melhor marcador da partida com oito golos marcados. Do lado português, Miguel Martins foi o melhor marcador com seis golos.

No final da partida, Paulo Jorge Pereira mostrou-se triste com a diferença do resultado, e afirmou que faltou alguma experiência à seleção portuguesa para conseguir lidar com os momentos de maior tensão:

“Hoje não jogámos bem, pura e simplesmente. Finalizámos mal e houve ali algum descontrolo emocional, notou-se que os atletas franceses são muito mais experientes a lidar com adversidades do que nós

Nós colocámos mais pressão, porque quisemos fazê-lo. Nós não gostamos de nos esconder nas metas, e estivemos muito perto de alcançar a meta que tinha estabelecido, porque nós só podemos falar em medalhas depois de entrarmos nas oito primeiras.”

Portugal 23-32 França: Despedida inglória

Fábio Magalhães, lateral português que atua pelo Futebol Clube do Porto, mostrou-se desiludido pelo resultado, e confirmou que a equipa acusou alguma ansiedade dadas as expetativas que existiam:

“É difícil neste momento explicar os nossos sentimentos porque, como já foi dito, criámos expetativas muito elevadas, e neste momento vamos muito tristes porque tínhamos umas expetativas grandes de passar esta fase, mas infelizmente hoje não conseguimos mostrar todo o nosso valor porque este não é o nosso valor, perder por nove com a França, mas agora não há volta a dar, é trabalhar para da próxima vez correr melhor.

Se calhar ansiedade de corresponder a essas expectativas de que falei anteriormente, e as coisas começaram a correr mal e não conseguimos voltar ao jogo como a equipa que temos sido até aqui, e depois foi um descalabro na segunda parte, as bolas não entravam aos seis metros e as deles entravam e assim é complicado”

Partilha nas Redes Sociais!

Deixe um comentário





Interessado em impulsionar o Andebol?

O principal objectivo da 7M é promover o Andebol, tanto a nível Nacional, como Internacional, seja Feminino ou Masculino.

Leonardo Bordonhos

Membro da equipa desde 2018, o Leonardo concilia as posições de Diretor de Redação e Redes Sociais da 7Metros. Ganhou o gosto pelo andebol quando começou a praticar a modalidade no Almada AC, e desde então procura fazer crescer o desporto em Portugal. Licenciado e Mestre em jornalismo desportivo, podem acompanhá-lo no Twitter: @leo_bordonhos