Saltar para o conteúdo

Noruega desiste de acolher o Campeonato Europeu de Andebol Feminino

Noruega desiste de acolher o Campeonato Europeu de Andebol Feminino

A pouco mais de duas semanas da cerimónia de abertura do 14º Campeonato Europeu de Andebol Feminino, a Noruega, um dos dois países organizadores da competição, anunciou hoje que, devido à pandemia da COVID-19 e a pedido das autoridades sanitárias e governamentais locais, não irá albergar qualquer um dos jogos que deveriam decorrer entre 3 e 20 de dezembro.

Assim, salvo qualquer alteração de última hora, todo o campeonato será realizado na Dinamarca, país que mais vezes organizou o Europeu feminino, mais precisamente em 1996, 2002 e 2010, este último em parceria com a Noruega, como deveria ser também dentro de poucos dias.

A Federação Europeia de Andebol (EHF) confirmou, num pequeno comunicado, a decisão das autoridades norueguesas, lamentando o sucedido e prometendo para o mais tardar amanhã um anúncio sobre eventuais alterações à organização.

Noruega desiste de acolher o Campeonato Europeu de Andebol Feminino

No entanto, caso nada de significativo venha a ser alterado, como seja a improvável entrada de um novo país-anfitrião ou o cancelamento da competição, todos os jogos realizar-se-ão na cidade de Herning, na arena Jyske Bank Boxen, que tem capacidade para 15 mil pessoas – capacidade essa que provavelmente não será esgotada faca às limitações impostas pela COVID-19.

O Campeonato contará com a presença de 16 equipas, entre as quais a Campeã Europeia em 2018, França, assim como os vencedores das medalhes de prata e de bronze, nomeadamente Rússia e Países Baixos. As equipas serão divididas em quatro grupos de quatro equipas, com as três primeira de cada grupo a passarem para o “Main Round” (“Fase principal”).

Além de coroar a nova Campeã Europeia, a competição servirá igualmente para definir as equipas europeias que irão participar no Campeonato do Mundo de Andebol Feminino de 2021, que se irá realizar em Espanha, em dezembro de 2021.

Convém também lembrar que o evento na Dinamarca será o primeiro a ser integralmente arbitrado por equipas femininas, entre as quais se conta a dupla internacional portuguesa composta pelas irmãs Vânia e Marta Sá.

Partilha nas Redes Sociais!

Deixe um comentário





Interessado em impulsionar o Andebol?

O principal objectivo da 7M é promover o Andebol, tanto a nível Nacional, como Internacional, seja Feminino ou Masculino.

Carlos Amaral

Membro da equipa desde Junho de 2020, o Carlos é um antigo jornalista da Secção Internacional do Correio da Manhã e Business Director na agência de traduções TETRAEPIK. Na 7 Metros dedica-se sobretudo ao andebol da Alemanha, Suíça e Áustria. Começou a jogar andebol como Infantil no SKV Eglosheim da Alemanha e é ainda jogador do Clube de Futebol de Sassoeiros, onde também foi vice-presidente e ainda é dirigente.